Monday, June 20, 2016

O MONTE E A PROMESSA


Tenho este nos rascunhos há umas semanas, mas ainda não tinha parado para o terminar. Realmente o tempo de Deus é algo curioso, já pensaram nisso? Algo acontece hoje, mas só vai ter impacto lá mais à frente, às vezes anos depois. Começamos algo hoje, mas só vemos a sua concretização muito tempo depois... Será que também há rascunhos na tua vida? Coisas guardadas em gavetas à espera de verem, finalmente, a luz do dia? Sabe que, com Deus, nada fica por escrever, a Seu tempo tudo o que Ele começou, encontra o seu fim. 

Hoje quero falar-vos sobre promessas e montes. E quero usar a conhecidíssima história de Abraão e Isaque como ponto de partida.

Toma Isaque, teu filho, teu único filho, a quem tu muito amas, e vai-te à terra de Moriá. Sacrifica-o ali como holocausto, sobre um dos montes, que Eu te indicarei!...
Abraão levantou-se bem cedo, selou seu jumento e tomou consigo dois de seus servos e seu amado filho Isaque. Ele ainda partiu a lenha para o holocausto e se pôs a caminho rumo ao lugar que Deus havia mostrado. 
No terceiro dia, Abraão, levantando os olhos, viu de longe o lugar que Deus havia determinado. Génesis 22:2-4

Resumindo a história, Deus põe a fé de Abraão à prova e pede-lhe que sacrifique o filho Isaque, que Ele mesmo, Deus, lhe prometera e que Abraão tinha tido com Sara já na velhice. Abraão obedece, convicto de que Deus providenciaria o cordeiro para o sacrifício ou, mesmo que não, que ressuscitaria o menino. 

Durante três dias Abraão caminhou em direcção aquele monte, sem saber bem o que ia acontecer. Provavelmente conversou com Isaque durante a viagem, riram, brincaram, se calhar choraram... não sei, mas não acredito que aquele pai não tenha abraçado o filho, o filho que ele já não esperava ter e que agora ia entregar a Deus. Não, não posso acreditar que aquele homem não se tenha emocionado por um momento. Ele era homem, lembremo-nos disso. Humano, frágil, limitado, tal como nós. Eu no lugar dele abraçaria o meu filho com todas as minhas forças, para que ele tivesse a certeza de que eu o amava. E acredito que com Abraão não tenha sido diferente. Talvez enquanto Isaque dormia ele se esgueirasse para longe para elevar os seus pensamentos a Deus, para chorar e derramar o seu coração diante de Deus... Porque não?   

A Bíblia não nos dá muitos detalhes e por isso vemos sempre esta história de uma maneira muito ligeira, porque já sabemos o fim, mas Abraão não sabia. Ele apenas tinha fé de que Deus ia cumprir a promessa que lhe fizera lá em Génesis 17, mas ele não sabia como. E mesmo que Deus ressuscitasse o filho, como ele imaginava, acham que não lhe custava matar o próprio filho? Imagino o que terá passado pela cabeça daquele homem... pergunto-me se pensamentos como "será que foi mesmo Deus que falou comigo?" ou "porque é que Deus me faria uma coisa destas?", ou "será que o meu filho vai entender?" lhe passaram pela cabeça. Sabe Deus que passam pela nossa muitas vezes. E já pensaram onde é que Sara entrava no meio disto tudo? O que é que Abraão terá dito à mulher que ia fazer com o seu único filho? Será que aquela mãe sabia que o marido ia sacrificar o seu menino? 

Abraão caminhou durante três dias com Isaque e os seu servos, até que avistou o monte ao longe. Nesse momento pediu ao servos que esperassem ali por eles e subiu ao monte com o filho.  Muitos te acompanharão na caminhada, para te ajudar a carregar a lenha, para te proteger e até te servir, mas a subida ao monte é entre ti e Deus. És só tu e o fruto da tua obediência. Tu e o teu Isaque, seja ele um filho, um casamento, um ministério, um sonho... 

Eu não sei qual é o teu Isaque, mas subir ao monte dói. Subir ao monte do sacrifício é uma escolha pessoal de rendição total, de entrega completa ao Pai, crendo que Ele sabe o que faz e não nos pede mais do que podemos suportar. 

Talvez venhas sentindo que estás sozinho e talvez isso te esteja a custar. Sentes que és o suporte de todos, mas que ninguém te suporta a ti. Que dás e dás, mas só precisavas de receber um pouco. Estás a subir o monte. Abraão também estava nessa posição. Ali a subir ao monte agora só com o filho, sozinhos, ele não podia dar-se ao luxo de se ir abaixo. 

E quantas vezes é assim na nossa vida? Sorris por fora e tentas fortalecer todos à tua volta, mas por dentro só te apetece chorar. Quem é pai vai entender. Se estivesses a subir ao monte para sacrificar o teu filho certamente irias querer que ele se sentisse o mais seguro possível, verdade? Não ias querer que ele tivesse medo.  Provavelmente dirias "vai correr tudo bem". Abraão era pai, ora ponham-se na pele dele. Foi com certeza isso que ele fez. 


Não podemos aligeirar nada disto. Subir ao monte não é para qualquer um e custa! É sim um ato de fé e de coragem.  Eu sei que às vezes as pessoas fazem a coisa parecer fácil, mas não é. Subir ao monte leva-te às lágrimas e faz-te doer o coração. Subir ao monte faz-te orar em lágrimas: "Pai eu sei que tu podes, mas será que tu queres? Faz a tua vontade". E pedir a vontade Dele nunca é fácil. não quando ela não é igual à nossa. Mas é o melhor que podemos fazer.  É preciso que subas a esse monte! 

E chegaram ao lugar que Deus lhe dissera, e edificou Abraão ali um altar e pôs em ordem a lenha, e amarrou a Isaque seu filho, e deitou-o sobre o altar em cima da lenha.

E estendeu Abraão a sua mão, e tomou o cutelo para imolar o seu filho. Génesis 22:9,10

Chegar ao monte cansa. Imaginem o caminho que Abraão e Isaque palmilharam. Três dias de viagem, sujeitos a intempéries, a calor e frio, a dores nos pés, a cansaço físico e emocional. Isaque com saudades da mãe, os servos talvez preocupados com o que ia acontecer... Não devem ter dormido muito e não sei até que ponto é que tinham provisões para todo aquele período. Não poderiam carregar assim tanta coisa, pelo que é possível que tenham racionado na comida e na água. E depois de tudo isso ainda tiveram de subir ao monte. Quantas pedras terão encontrado, o caminho duro e íngreme, cansados e agora Isaque questiona o pai "onde é que está o cordeiro para o sacrifício?"(vs. 7). E aquele pai com o coração apertado certamente, responde-lhe cheio de fé "Deus proverá" (vs. 8).

Muitas vezes subimos ao monte em lágrimas, já cansados e de coração apertado, mas da nossa boca só pode sair um "Deus proverá". É um decreto, é um desejo, é uma forma de nos convencermos a nós mesmos, é a nossa boca a declarar aquilo em que o nosso coração quer muito acreditar. É a nossa fé em ação no momento mais importante da nossa vida! Só podemos acreditar que Ele fará algo, que Ele fará o impossível, que Deus mostrará a Sua glória. 

Tento imaginar a dor de Abraão ao colocar o filho em cima do altar. Quase consigo imaginar Isaque a chorar, a tentar debater-se quando o pai o amarra e se prepara para o sacrificar. Confuso, com medo, sem entender o que está a acontecer. Talvez Abraão chorasse e dissesse que o amava, que tudo ia correr bem, para confiar nele. Não sei, mas tenho a certeza de que foi uma situação impossível. 

É a nossa obediência que nos leva até ao monte do sacrifício, mas é a nossa fé que nos permite suportar e crer até ao último instante que Deus é quem dá a última palavra! 


Mas o anjo do Senhor lhe bradou desde os céus, e disse: Abraão, Abraão! E ele disse: Eis-me aqui. (...)
Então o anjo do Senhor bradou a Abraão pela segunda vez desde os céus, e disse: Por mim mesmo jurei, diz o Senhor: Porquanto fizeste esta ação, e não me negaste o teu filho, o teu único filho, que deveras te abençoarei, e grandissimamente multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus, e como a areia que está na praia do mar; e a tua descendência possuirá a porta dos seus inimigos; e em tua descendência serão benditas todas as nações da terra; porquanto obedeceste à minha voz. Génesis 22:15-18

No monte do sacrifício, cheios de Deus e vazios de nós, rendidos a Ele e à Sua vontade, Deus fala connosco. Mais, Ele chama-nos pelo nome. "Abraão, Abraão, Diana, Diana [coloca o teu nome], eu não te esqueci, eu não te abandonei, eu sou o teu Pai e tu és meu". 

O monte é mais do que uma prova de fé. O monte revela quem tu és. Revela a tua identidade como filho de Deus. O que te move e o que está dentro do teu coração. Sendo aprovado, Deus te chama pelo nome e te despede dali com uma promessa! Sim, na descida do monte, a promessa desce também. Abraão desceu com Isaque e com a renovação de uma aliança de Deus com eles. 

Não sei a que monte tens subido e qual tem sido a tua atitude, mas tenho aprendido que a forma como sobes vai determinar como vais descer. Quero encorajar-te hoje a confiar no Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó. No Deus que personificou a subida ao monte, entregando o Seu único filho Jesus para morrer por todos nós, para que hoje possamos ter vida e ter uma segunda oportunidade. Deus ama-te profundamente e mesmo que pareça que só te está a fazer sofrer, acredita que só parece. Em boa verdade Ele está a forjar-te, a preparar-te, a dar-te ferramentas para seres um grande homem, uma grande mulher, capaz de enfrentar grandes tempestades e ainda assim não ter medo, porque conheces o Deus a quem serves. Ele quer que O conheças, não apenas que ouças ou leias sobre quem Ele é.  

Tu vais descer desse monte e a promessa vai descer contigo, mas precisas de render primeiro, e por completo, a tua vontade ao Pai. Nas palavras do apóstolo Paulo, é necessário que Ele cresça e que eu diminua (Jo 3:3). Só assim serás capaz de receber tudo aquilo que Ele tem para ti. Entrega tudo a Ele, sem medo, pois aquele que prometeu é fiel para cumprir. (He 10:23).

A promessa que desceu com Abraão foi tremenda e tudo porque ele obedeceu e confiou. Pergunto-te, será que tens obedecido e confiado também? Será que, perante o monte, tens recuado ou tens subido com fé? Mesmo com receios e dúvidas, mesmo às vezes no meio de sofrimento, será que tens abraçado esse monte e caminhado confiando no Deus do impossível, ou o teu monte tem sido maior do que a tua fé?  

Shalom!


 Para seguir o pro(fé)ta no Facebook é aqui


1 comment:

  1. Olá querida que mensagem maravilhosa. Realmente precisamos confiar e obedecer. Gosto muito da história de Abraão, ela tem sido inspiradora para mim. Que bom que chegou o tempo em que você concluiu e publicou este entendimento. Obrigada

    beijos
    tenho blog também
    http://maisquecharmeoficial.blogspot.com.br/

    ReplyDelete

Obrigada pelo teu comentário. Deus te abençoe.